Fora de Horas

José Belo Marques Letra
José Belo Marques Música

Fadista, geme a tua desventura.
Não faças conta ao tempo, quando choras.
Que o fado, em certas horas d’amargura,
Só deve ser cantado fora d’horas.

Não bate o coração a horas tantas,
Nem sabe quando ri ou quando chora.
Que o fado é mais sentido quando cantas,
Se a hora d’o cantar passa da hora.

O fado é o destino d’uma hora.
Um dia ela virá, mas não sei quando.
Quem tem um coração que canta e chora,
Não pode ouvir as horas que vão dando.

Bateu-me o fado à porta, lentamente,
A quem fui receber de mãos abertas.
Meu triste coração ficou doente
E nunca mais bateu a horas certas.