Brincos para brincar

João Linhares Barbosa Letra
Francisco Carvalhinho Música

Quando eu era pequenina,
P’ra me enfeitar as orelhas,
Minha mãe punha-me, às vezes,
Quatro cerejas vermelhas

E toda tola lembro-me, ainda,
Que ia p’rá escola vaidosa e linda.
Brincos vermelhos a dar que dar,
Pedia espelhos p’ra me mirar.

Diziam todas: Que bem lhe fica!
Lembra-nos modos, menina rica.
Via-os, revia-os como riqueza,
Depois comia-os à sobremesa.

Um dia as mais raparigas,
Filhas como eu da pobreza,
Puseram-me nas orelhas
Dois brinquinhos de princesa.

E toda triques, faces coradas,
Ia aos despiques nas desfolhadas.
Vinham meus brincos d’algum vergel,
Não punham vincos na minha pele.

Depois mais tarde vi-te e amei,
Deste-me brincos d’ouro de lei.
Bendito sejas mas, na verdade,
Vejo cerejas sinto saudade.